Site oficial do escritor e jornalista José Nêumanne Pinto

Podcast

Comentário no Jornal Eldorado: Amordaçar cidadão ou não, eis a questão

Comentário no Jornal Eldorado: Amordaçar cidadão ou não, eis a questão

Após passar cinco meses sentado em cima do decreto de Dias Toffoli que proíbe que cidadãos critiquem os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal, seus parentes e aderentes, o relator Alexandre de Moraes, enfim, o liberou para deliberação do plenário. A mordaça, contudo, só será levada à discussão quando o autor, que é presidente, agendá-la. É grande a expectativa em torno do voto de Cármen Lúcia, que desempatou a disputa entre “garantistas” da impunidade e seguidores da lei ao derrotar o antigo parceiro Edson Fachin na Segunda Turma. Isso só ela e Deus sabem.

Para ouvir o comentário clique no play abaixo:

Ou clique aqui e, em seguida, no play.

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo.

Assuntos para comentário da quarta-feira 4 de setembro de 2019

1 – Haisem – Agora que o relator Alexandre de Moraes abriu para o plenário o famoso polêmico contra insultos aos colegas do Supremo Tribunal Federal, seus parentes e aderentes, que expectativas você tem para o agendamento e a votação do assunto

2 – Carolina – O que inspirou o relator da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região em Porto Alegre a negar à defesa de Lula o uso de provas obtidas pelos hackers de Araraquara nos celulares de cerca de mil agentes e autoridades do Estado

3 – Haisem – Você esperava que o ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal negasse, como negou, ao Partido Novo a suspensão da votação da Lei Contra o Abuso de Autoridade na Câmara dos Deputados

4 – Carolina – Governo revê verba para campanhas; Câmara reage, publica Estadão na primeira página hoje. Dá para acreditar que possa ter sido de boa fé o erro admitido pela Receita Federal na fixação do Fundo Partidário para texto da Lei das Diretrizes Orçamentárias de 2,5 bilhões de reais para 1,78 bilhões

5 – Haisem – O que tem a ver a aceitação pelo governo de um fundo partidário de bilhões com a queda de prestígio de Bolsonaro para alguns cidadãos que contavam com a adoção de uma nova política no governo dele

6 – Carolina – Depois de toda a onda da divulgação de supostas mensagens pelo aplicativo Telegram entre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, a manutenção dos índices de popularidade do ex-juiz o surpreende

7 – Haisem – Quem, de acordo com a pesquisa do Atlas Político, se destaca como principal oponente ao projeto de reeleição do presidente Bolasonaro em 2022

8 – Carolina – O que ainda há a dizer sobre a prisão do casal Antony e Rosinha Garotinho, mais dois ex-governadores do Estado do Rio presos por corrupção

um milhão2

Comentário no Jornal Eldorado: Políticos não têm mesmo pudor

Comentário no Jornal Eldorado: Políticos não têm mesmo pudor

A introdução pelo governo de R$ 2,5 bilhões para financiar campanhas eleitorais nos municípios brasileiros em 2020 na Lei do Orçamento, a mais importante votada pelo Congresso, é uma prova cruel de insensibilidade neste momento de contingenciamento de verbas para a administração federal e, sobretudo, de muito sacrifício dos cidadãos, principalmente os desempregados. O Executivo se disse impossibilitado de negar e o Legislativo não tem o menor pudor em exigir estes bilhões todos, um aumento de 48% em relação ao ano passado, enquanto o Centrão e a oposição se articulam para aumentar essa dotação para R$ 3,7 bilhões, conforme foi aceito pelo relator e reduzido no anteprojeto enviado para a votação. Como é que essa gente ainda se jacta de representar nosso povo sofrido?

Para ouvir clique no play abaixo:
Ou clique aqui e, em seguida, no play.
 
Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.
 

Assuntos para comentário da terça-feira 3 de setembro de 2019

 1 – Haisem – Que justificativas é possível encontrar para o governo incluir no Orçamento da União deste ano de 2,5 bilhões de reais e Centrão e oposição  continuarem articulando para aumentar para 3 milhões e 700 mil reais fundo público para financiar eleições municipais numa crise como a que vivemos agora

 2 – Carolina – Que explicações estão sendo dadas pelo Ministério de Educação para o corte previsto de 11 mil e 800 bolsas para pesquisa do Cades

SONORA_CORREIA 0309

 3 – Haisem – Por que Bolsonaro disse que, se for necessário, discursará na abertura da Conferência Anual das Nações Unidas como de praxe, nem que tenha de ir de cadeira de rodas para falar da Amazônia

 4 – Carolina – O que explica o fato de a Operação Lava Jato procurar 50 milhões de reais nas contas do ex-ministro da Fazenda dos governos Lula e Dilma do PT e o Banco Central só dar conta de 35 mil

 5 – Haisem – Quais são as maiores piadas deste começo da semana no noticiário político

 6 – Carolina – Que motivos levaram a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a pedir acesso ao Superior Tribunal de Justiça à investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do seu motorista Anderson Gomes para apurar se há “indícios de autoria intelectual” por parte do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ) Domingos Inácio Brazão

 7 – Haisem – Quem é o preferido e quem é o preterido citados no título de seu artigo da semana no Blog do Nêumanne

 8 – Carolina – Que temas você abordou na edição desta semana da série Nêumanne entrevista em seu blog com o embaixador Rubens Ricupero

Comentário no Jornal Eldorado: Boa vontade de Moro

Comentário no Jornal Eldorado: Boa vontade de Moro

Neste fim de semana, O Antagonista reproduziu notícias dadas pelo comentarista do Jornal da Gazeta e colunista do UOL Josias de Souza, e elas comprometem decisivamente a decisão do trio “Deixa que eu solto” da Segunda Turma de cancelar a condenação do corrupto ex-presidente do BB e da Petrobrás, Aldemir Bendine. Cármen Lúcia, Gilmar e Lewandowski acataram recurso da defesa do réu, que exigiu mais prazo do que outros acusados que eram também delatores condenados para apresentar considerações finais. Mas o relator da Lava Jato no STJ, Félix Fisher, comentou em abril de 2018 a generosidade de Moro ao ter permitido segundo depoimento ao apenado. E não houve novidade alguma nos depoimentos aos quais seu advogado, Alberto Torón, exigiu prévio conhecimento dele. Ou não leram os autos ou agiram de má-fé, certo?

Para ouvir o comentário clique no play abaixo:

Ou clique aqui e, em seguida, no play.

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

Assuntos para comentário da segunda-feira 2 de setembro de 2019

 1 – Haisem – O que o leva a revelar que Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski não leram os autos antes de decidirem cancelar a condenação do ex-presidente da Petrobrás e do Banco do Brasil Aldemir Bendine e porem a Lava Jato e o Brasil em polvorosa

 2 – Carolina – Que outra notícia dada no fim de semana trouxe mais um detalhe sobre a polêmica decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal na semana passada que põe em xeque sentença do ex-juiz Sergio Moro

 3 – Haisem – Que importância tem para a discussão sobre o desmatamento da Amazônia o depoimento do madeireiro Valter Riberti que mereceu chamada de primeira página do Estadão no sábado 31 de agosto

 4 – Carolina – O que explica o aumento do índice de reprovação e a queda na aprovação do presidente Jair Bolsonaro na pesquisa Data Folha publicada hoje na Folha de S. Paulo

 5 – Haisem – Por que o presidente Jair Bolsonaro insistiu em anunciar que seu indicado para substituir Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal será o advogado-geral da União, André Mendonça, e não o ministro da Justiça, Sergio Moro, 15 meses antes da aposentadoria do decano

 6 – Carolina – Agora que a Veja descobriu o paradeiro do ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro Fabrício Queiroz cessaram os mistérios a respeito do relatório do Coaf sobre suas movimentações bancárias atípicas na administração da contabilidade do gabinete na Alerj

 7 – Haisem – O que você acha da revelação de que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, confidenciou a um deputado que a Câmara deveria abrir uma CPI sobre o que chamou de crimes de Sergio Moro e Deltan Dallagnol nos processos da Operação Lava Jato em Curitiba

 8 – Carolina – Você se surpreendeu com a notícia dada na primeira página da Folha de S. Paulo hoje sobre o estado deplorável da bilionária obra da transposição do Rio São Francisco no sertão do Nordeste

Comentário no Jornal Eldorado: STF contra Lava Jato

Comentário no Jornal Eldorado: STF contra Lava Jato

A reunião da Segunda Turma do STF terça-feira 27 não trouxe a má notícia esperada, que seria a ordem para soltar Lula, mas outra muito pior. Com três votos (Lewandowski, Gilmar e, pasmem, Cármen Lúcia) contra apenas um (Fachin), decidiu cancelar a condenação do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás, Aldemir Bendine, corrupto segundo a Lava Jato, lavrada pelo ex-juiz Sérgio Moto, aceitando pretexto imprevisto no Código Penal e na Lei das Delações Premiadas, liberou geral. Ou seja, a libertação de Lula depende agora de uma decisão automática e burocrática da defesa dele para adequar sua situação penal à do pilantra Dida.

Para ouvir comentário clique no play abaixo:
Ou clique aqui e, em seguida, no play.
 
Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.
 

Assuntos para o comentário da quarta-feira 28 de agosto de 2019

1 – Haisem – Supremo anula pena da Lava Jato a Bendine, registra título de chamada de primeira página do Estadão hoje. Que implicação a decisão pode ter sobre outras penas de Moro, inclusive as condenações de Lula

SONORA_LEWANDOWSKI 2808

2 – Carolina – Acima desta chamada na primeira página do Estadão outra noticia: Bolsonaro e Moro falam em rede de intrigas. Essa notícia o faz mudar de ideia sobre os comentários que tem feito aqui sobre o que chama de “fritura” do ministro da Justiça pelo presidente da República

3 – Haisem – Na segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro chegou a dar um spoiler aos repórteres anunciando uma bomba. Na reunião de ontem com os governadores no Palácio do Planalto ele reclamou das reservas indígenas e quilombolas na Amazônia. Teria sido esta a bomba

4 – Carolina – O presidente da França, Emmanuel Macron, voltou a se referir ontem ao presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, ao reclamar de alguns estadistas que confundem soberania com agressividade. Ele tem razão

5 – Haisem – O que você acha dos comentários desairosos que o presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, Eduardo Bolsonaro, prestes a ser indicado pelo pai, Jair, para a embaixada dos Estados Unidos, tem feito publicamente ao presidente Macron

6 – Carolina – A Associação Nacional de Membros do Ministério Público, MP Pró-Sociedade, enviou à Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, uma representação pedindo o afastamento do sigilo bancário e fiscal do ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal. O pedido também atinge a mulher do ministro, Roberta Maria Rangel, e o escritório de advocacia dela. Quais são as chances disso prosperar

7 – Haisem – Que conseqüências poderá ter a revelação do Tribunal de Contas da União de que o BNDES pagou o dobro por estradas no exterior nos governos Lula e Dilma, do PT

8 – Carolina – Até que ponto você acha que ainda pode cair a economia prevista com a reforma da Previdência no relatório entregue ontem pelo senador Tasso Jereissati ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre

SONORA_TASSO 2808

Comentário no Jornal Eldorado: Riquezas ocultas da Amazônia

Comentário no Jornal Eldorado: Riquezas ocultas da Amazônia

Ao recusar a oferta dos países ricos, reunidos no G7 em Biarritz, na França, de 83 milhões de reais para ajudar a combater os focos de incêndio na floresta amazônica, o governo brasileiro passou um recado de que desconfia que as Ongs que dizem trabalhar pela preservação na verdade são agentes do roubo de ouro, pedras preciosas e biomas. Talvez fosse mais prudente que Bolsonaro mandasse a inteligência e a PF apurarem a atividade clandestina dessas Organizações não Governamentais e, só então, com dados levantados em investigações sérias denunciar ao mundo inteiro a farsa. Como isso não ocorreu tudo resultou num bate-boca cafajeste de parte a parte.

Para ouvir clique no play abaixo:

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

 

Assuntos para comentário da terça-feira 27 de agosto de 2019

1 – Haisem – Que razões você acha que o Palácio do Planalto teve para recusar a oferta de ajuda do G7 de 83 milhões de reais de ajuda para combater o fogo na Amazônia legal

SONORA_BOLSO 2708 A

2 – Carolina – O que você nos tem a dizer sobre a constatação feita pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de que há razões para desconfiar de ação orquestrada  planejando queimadas na floresta

SONORA_DODGE 2708

3 – Haisem – O que você acha de, em nome de que outros estadistas do G7, o presidente da França, Emmanuel Macron, ter anunciado sua sugestão de gestão internacional para evitar degradação total de nossa floresta tropical

4 – Carolina – Quem mais tem razões a comemorar ou lamentar os resultados da pesquisa divulgada ontem pela CNT-MDA sobre desempenho do governo, o presidente Jair Bolsonaro ou o ministro da Justiça, Sérgio Moro, que andam às turras

5 – Haisem – Você fico surpreendido com a notícia publicada na primeira página do Estadão de hoje segundo a qual PF atribui a Maia crimes de caixa 2 e corrupção

6 – Carolina – Que motivos você acha que a Justiça Federal de Curitiba teve para adiar a reunião do Conselho Nacional do Ministério Público, agendada para hoje, para interrogar o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, sobre denúncias do site Intercept Brasil

7 – Haisem – A seu ver, faz sentido a ideia do senador Flávio Bolsonaro de importar para o Brasil a modalidade criminosa de suicídio por policial para caso de execução de bandidos por atiradores de elite das forças policiais

8 – Carolina – Qual é o tema de seu artigo semanal, que você publicou há algumas horas no Blog do Nêumanne do Portal do Estadão

um milhão2

Comentário no Jornal Eldorado: O Dia do Fogo no Whatsapp

Comentário no Jornal Eldorado: O Dia do Fogo no Whatsapp

Site do Globo Rural deu a notícia que um grupo heterogêneo de 70 sindicalistas, grileiros, produtores rurais e comerciantes combinou por WhatsApp promover queimadas múltiplas na floresta amazônica no Pará com o objetivo de burlarem a fiscalização feita pelo Ibama no dia 10, que seria chamado de  “Dia do Fogo”. A ação foi previamente noticiada pelo jornal Folha do Progresso, de novo Progresso. O Ministério Público Federal do Pará informou ao Ibama, mas este informou que, como a PM do Pará negou dar segurança, os fiscais  não teriam como trabalhar. Esse desleixo do Estado é uma verdade dura que se sobrepõe sobre os mitos e lendas da Amazônia.

Para ouvir clique no play abaixo:
Ou, clique aqui e, em seguida, no play.
 
Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.
 
Assuntos do comentário da segunda-feira 26 de agosto de 2019:

1 – Haisem – Que motivos você acha que levaram o presidente Jair Bolsonaro a mandar o ministro da Justiça, Sergio Moro, deslocar agentes da Polícia Federal para investigar a atuação de incendiários criminosos nos focos de incêndio da floresta?

SONORA_BOLSO 2608 A

2 – Carolina – “Países ricos prometem ajuda contra queimadas”, publicou o Estadão na primeira página hoje. Que motivos você acha que tiveram os presidentes da França, Emmanuel Macron, e do Brasil, Jair Bolsonaro, para recuarem depois do acalorado debate em torno de quem mentiu sobre os atuais problemas da Amazônia que assombram o mundo inteiro

3 – Haisem – “Novo deve discutir suspensão de Ricardo Salles”, também está na primeira página do Estadão de hoje. Por falar no ministro do Meio Ambiente, que contribuições ele trouxe ao debate sobre a Amazônia na entrevista que deu a José Fucs, do Estadão

4 – Carolina – Por que nas quatro indicações que fez para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, atendendo a indicações do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, o presidente Jair Bolsonaro nem sequer consultou o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro

5 – Haisem – Existe alguma explicação plausível para o fato de a delação premiada de 78 executivos da Odebrecht, que chegou a ser chamada de “a delação do fim do mundo”  ter chegado a resultados tão pífios quanto os relatados na edição do Estadão de ontem

6 – Carolina – Que detalhes pitorescos sobre as ex-presidentes da República, Dilma Rousseff, e da Petrobrás, Graça Forster, emergiram dos vazamentos da delação premiada do ex-ministro da Economia de Lula e da Fazenda de Dilma Antônio Palocci

7 – Haisem – Que resultados práticos tiveram, a seu ver, as manifestações realizadas ontem nas ruas de cidades brasileiras contra a lei contra abuso de autoridade

8 – Carolina – Na sua opinião, os manifestantes contra a lei do abuso de autoridade em Copacabana no Rio para expulsar do protesto o humorista Marcelo Madureira

um milhão2

Página 21 de 190«...51015...1920212223...3035404550...»
Criação de sites em recife Q.I Genial