Site oficial do escritor e jornalista José Nêumanne Pinto

Direto ao Assunto

Direto ao Assunto no YouTube: SUS: Dilma inspirou Bolsonaro

Direto ao Assunto no YouTube: SUS: Dilma inspirou Bolsonaro

Jair Bolsonaro, capitão puxa-encolhe do populismo sem povo, citou projeto de Dilma em 2010 (presidente era Lula) para justificar decreto que prometeu ressuscitar depois de assinar e mandar revisar, autorizando capital privado em obras de UBS do SUS. 2 – Agressão a homossexuais e maranhenses ocultou viagem eleiçoeira do presidente ao Maranhão a propósito de um refrigerante cor de rosa chamado Jesus. 3 – Ricardo Salles viajou em avião da FAB com querosene pago por nós para chamar Maia de Nhonho e depois negar. Direto ao assunto. Inté. Só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique no play abaixo:

Comentário no Jornal Eldorado: Puxa-encolhe no populismo sem povo

Comentário no Jornal Eldorado: Puxa-encolhe no populismo sem povo

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem, em live nas redes sociais, que deve reeditar o decreto para a inclusão de unidades básicas de saúde (UBSs) no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). O governo publicou o decreto com esse teor na segunda-feira, 26, mas recuou dois dias depois, após forte pressão da oposição e das redes sociais. A medida foi encarada pelos críticos como o início da privatização do Sistema Único de Saúde (SUS). No populismo sem povo do capitão puxa-encolhe ninguém é capaz de prever qual a decisão definitiva a ser tomada pelo chefão. O governo nega-se, por exemplo, a privatizar os Correios, cuja manutenção sob tutela estatal só tem função de cabide de emprego para os membros do Centrão, que são os verdadeiros donos do poder legitimados pelo voto que elegeu Bolsonaro contra eles.

Para ouvir comentário clique no play abaixo:
Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.
 
 

Assuntos para comentário da sexta-feira 30 de outubro de 2020

1 – Haisem – Bolsonaro diz que deve reeditar inclusão de UBS em privatizações – Este é o título de uma chamada na capa do Portal do Estadão. O que indica esse vaivém permanente do presidente da República em assuntos que dizem respeito ao cidadão mais desassistido e mais necessitado de atenção do Estado

2 – Carolina – Guedes fala no Congresso e ataca Marinho e Febraban – Este é o título de chamada no alto da primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. A seu ver, o que explica essa permanente agressividade de muitos ministros tratando de assuntos que em qualquer outro país mereceriam mais cuidados

3 – Haisem – Tuíte de Salles sobre Maia expõe brigalhada política em Brasília – Este é o título de uma chamada no alto da primeira página da edição impressa do Estadão hoje. Por que, em sua opinião, o ministro do Meio Ambiente  usa seu tempo e a paciência do público para atacar um chefe de poder quando teria muito mais a fazer de prático e útil cuidando apenas da gestão da pasta

4 – Carolina – Paulinho da Força vira réu por suposta propina da J&F – Este é o título de uma chamada na capa do Portal do Estadão. Decisões desse gênero da Justiça representam um alento de que o conluio dos três Poderes ainda não conseguiu extinguir o legado da Operação Lava no combate à corrupção no Brasil

Comentário no Jornal Eldorado: Capital privado no SUS, uma tolice

Comentário no Jornal Eldorado: Capital privado no SUS, uma tolice

Após forte reação contrária, o presidente Jair Bolsonaro decidiu nesta quarta-feiras revogar decreto publicado na véspera no Diário Oficial autorizando estudos para conceder as Unidades Básicas de Saúde (UBS) à iniciativa privada. A medida foi vista como o início da privatização do Sistema Único de Saúde (SUS). Depois de críticas fortíssimas de todos os lados, o Palácio do Planalto recuou e admitiu que o texto estava “equivocado”.  A determinação agora é que o texto seja revisto. Não cancelado, certo? Como Bolsonaro defendeu a ideia original e ainda ironizou quem o criticou, como é de hábito, não é de todo que surja outro dia com outra argumentação. Aí seria o caso de mandar instalar um cartaz nas portas das UBS: “Aqui pobre não tem vez”. Não adianta querer disfarçar. Privatizar obras do SUS é uma ideia de jerico.

Para ouvir o comentário clique no play abaixo:

 

 

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui. 

 

Assuntos para comentário da quinta-feira 29 de outubro de 2020

1 – Haisem – Governo decide revogar decreto sobre SUS – Este é o título de chamada de primeira página na edição impressa do Estadão hoje. O que, na sua opinião, inspirou o presidente a privatizar postos do SUS para depois rapidamente voltar atrás

2 – Carolina – O que você tem a dizer sobre a notícia de que o Ministério da Saúde sabia de um relatório sobre a necessidade de uma reforma urgente e radical no Hospital Federal de Bonsucesso, que pegou fogo anteontem no Rio, e falava na possibilidade de morte de pacientes, mas não tomou nenhuma providência

3 – Haisem – O que você tem a dizer sobre a notícia de que candidatos a vereador em São Paulo e no Rio receberam auxílio emergencial do governo para os trabalhadores impossibilitados de trabalhar na pandemia e doaram para a própria campanha

4 – Carolina – Ex-porta-voz, Rêgo Barros é visto como “novo Santos Cruz” – Por que, a seu ver, o general que foi isolado, não foi promovido e depois foi afastado de sua importante função no palácio está sendo comparado com o general Santos Cruz, que foi muito ligado a Jair Bolsonaro na academia militar e hoje é considerado o guru dos militares humilhados e ofendidos

No YouTube, Carlos Alberto Di Franco entrevista José Nêumanne: Poderes cúmplices, não harmônicos

No YouTube, Carlos Alberto Di Franco entrevista José Nêumanne: Poderes cúmplices, não harmônicos

Se Montesquieu ressuscitasse e viesse ao Brasil atual ficaria muito decepcionado com a perversão de seu célebre modelo tripartite de poderes – Legislativo, Executivo e Judiciário – harmônicos. Aqui eles participam de fato de um conluio que desvirtua o poder da cidadania num conluio entre parlamentares, executivos e magistrados, principalmente os das mais altas instâncias. O acordão que resulta dessa distorção concentra poderes nas mãos de elites retrógradas, autoritárias e contumazes ladravazes. Esta é uma das afirmações que fiz na live a que fui convidado pelo professor Carlos Alberto Di Franco, da Universidade de Navarra, Espanha, e do Conselho Editorial do jornal O Estado de S. Paulo. Disse ainda que o STF, que já era o pior, vai piorar ainda mais com Kássio Marques.

Para ver a gravação do encontro clique no play abaixo:

Direto ao Assunto no YouTube: Privatizar SUS é ideia de jerico

Direto ao Assunto no YouTube: Privatizar SUS é ideia de jerico

Na terça-feira, 27 de outubro, o Diário Oficial da União publicou decreto autorizando privatização de estudos para financiamento de obras em UBS do SUS. A iniciativa é tão infeliz que no dia seguinte, Bolsonaro o suspendeu, mesmo defendendo-o e ironizando os críticos.o criticou. Quem já viu populismo sem povo? 2 – Arapongas tiveram chance de guardar relatório levado ao diretor, Alexandre Ramagen, pedindo que Abin espione fiscais da Receita, apontados como fontes das informações obtidas pelo MP-RJ para abrir inquérito sobre extorsão de servidores de Flávio Bolsonaro na Alerj. 3 – Ministro Nefi Cordeiro, do STJ, deu a entender ao repórter da Crusoé que que imprensa poderá ser censurada pela lei para modificar uso de dados pessoais em inquéritos criminais. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique no play abaixo:

Comentário no Jornal Eldorado: Ex-porta-voz detona Bolsonaro e áulicos

Comentário no Jornal Eldorado: Ex-porta-voz detona Bolsonaro e áulicos

O ex-porta-voz da Presidência da República, general Otávio do Rêgo Barros, fez uma série de críticas indiretas ao presidente Jair Bolsonaro, em artigo publicado ontem no jornal Correio Braziliense. Sem citar o nome do ocupante do Palácio do Planalto, Rêgo Barros afirmou que o poder “inebria, corrompe e destrói”. O antigo auxiliar critica também auxiliares presidenciais que se comportam como “seguidores subservientes”. “Os assessores leais — escravos modernos — que sussurram os conselhos de humildade e bom senso aos eleitos chegam a ficar roucos”, continuou. Erudito, baseado no exemplo de Caio Júlio César, o general romano que levava em suas campanhas escravos encarregados de lhe dizerem “memento mori” (lembra-te que morrerás) relata com exatidão atitudes do presidente e sua “caterva”.

Para ouvir comentário clique no link abaixo e, em seguida, no play:

 

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

 

Assuntos dos comentários de quarta-feira 28 de outubro de 2020

1 – Haisem – O que dizer do artigo do ex-porta-voz da Presidência da República, general Rêgo Barros, no qual, sem citar nomes, descreveu o presidente da República, Jair Bolsonaro, como alguém que o poder “inebria, corrompe e destrói” em artigo publicado no Correio Braziliense

2 – Carolina – A defesa do senador Flávio Bolsonaro reconheceu que, de fato, pediu à Procuradoria-Geral da República apuração sobre supostas irregularidades cometidas por servidores da Receita Federal em investigações sobre seu representado. Até que ponto você acha que  o primogênito do presidente chegará para interromper a investigação sobre desvio de dinheiro público na Alerj quando ele era deputado estadual

3 – Haisem – A que você atribui mais um incêndio em prédio público no Rio agora desta feita matando três pacientes do Hospital Federal de Bonsucesso e causando grande transtorno no combate à pandemia da covid 19 na segunda maior cidade do País

4 – Carolina – E ninguém vai processar aloprados de Bolsonaro? – Este é o título de seu artigo publicado na página 2, de Opinião, do Estadão hoje. Quem são os alvos de seu texto e por que razão você acha que eles deveriam ser processados

Página 10 de 815«...5...89101112...1520253035...»
Criação de sites em recife Q.I Genial