Site oficial do escritor e jornalista José Nêumanne Pinto

Entrevista de Nêumanne a Marcone Formiga

Entrevista de Nêumanne a Marcone Formiga

Brasília EM DIA

O pernambucano Luiz Inácio Lula da Silva, um operário bem articulado, e o paraibano José Nêumanne, o jornalista que cobria suas atividades, já foram amigos, mas não têm mais vínculos de amizade como antes, muito pelo contrário. Anfitriões bem-informados estão evitando que os dois sejam convidados para o mesmo evento social, porque são líquidos que não se misturam, nem mesmo para brindar.

Faz sentido essa precaução. As boas relações entre os dois ficaram no passado. No presente, não faz sentido colocá-los na mesma mesa porque não se sentiriam confortáveis, compartilhando o mesmo espaço.

A ponte entre os dois foi dinamitada depois do lançamento do livro “O que eu sei de Lula”, há uma semana, em São Paulo, com agenda para a próxima semana, em Brasília.

Para o escritor, Lula é um fenômeno político, como também pessoal, o que explica seu sucesso na política, eleito duas vezes presidente da República. Acrescentou que o ex-presidente conquistou uma popularidade e “com isso execrou e demonizou Fernando Henrique Cardoso, pela obra que ele considerou herança maldita, mas que, na verdade, foi o verdadeiro sucesso dele”. O perfil que o autor faz de Lula “é a expressão exata do cidadão brasileiro comum, ignorante, arrogante, de levar vantagem em tudo para se dar bem”. Nêumanne acrescenta mais: “O Lula, na
verdade, é um Macunaíma, um herói sem nenhum caráter, no sentido que o Mário de Andrade quis dar ao seu herói”.

Nêumanne revela também que Lula critica a imprensa por algumas razões, que ele até enumera: por comodismo, reação ao fato de a imprensa vigiá-lo, “por ignorância e, também, um pouco por ingratidão”.

Lendo a entrevista que segue, faz sentido os anfitriões evitarem que os dois compareçam à mesma festa.

Por: Marcone Formiga

Leia a entrevista completa. Clique aqui!

Envie para um amigo

Criação de sites em recife Q.I Genial