Site oficial do escritor e jornalista José Nêumanne Pinto

Direto ao Assunto

Comentário no Jornal Eldorado: Debate derrota?

Comentário no Jornal Eldorado: Debate derrota?

Abaixo do líder na votação do primeiro turno 16 pontos porcentuais, o candidato do PT à Presidência, Lula/Haddad, desafia Jair Bolsonaro, do PSL, a não fugir do debate, pois é, de fato, a única chance que tem de produzir alguma gafe espetacular que faça o ponteiro desabar para que o alcance. Este tem respaldo médico para faltar, o que faltou a Lula e Dilma nas ocasiões em que também se recusaram a debater com adversários, mas já reconheceu que pode o estar fazendo por estratégia. É um direito dele, embora possa ser que uma grande faixa de eleitores o abandone por se ter recusado a debater. De qualquer maneira, o efeito do debate é duvidoso. Sem debater, ele não saiu do topo.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na sexta-feira 12 de outubro de 2018, às 7h30)

Para ouvir, clique no play abaixo:

Ou clique aqui e, em seguida, no play:

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui!

Assuntos para o comentário de sexta-feira 12 de outubro de 2018

 

1 – Qual dos dois candidatos que passaram para o segundo turno da eleição presidencial – Jair Bolsonaro, do PSL, ou Fernando Haddad, do PT – tem razão nesse bate-boca a respeito da participação do primeiro nos debates promovidos pelos meios de comunicação até 28 de outubro?

 

2 – Manchete do Estadão é: “Bolsonaro anuncia três ministros; Haddad busca nomes”. Esse anúncio de membros de um eventual governo seu pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro, numa entrevista coletiva de imprensa fortalece ou fragiliza sua candidatura, que tem 16 pontos porcentuais a mais do que o oponente, Fernando Haddad, do PT?

 

3 – Que conseqüência poderá ter para a campanha de Bolsonaro a declaração do general Oswaldo Ferreira de que nos anos 70, quando ele participava da construção de estradas em áreas protegidas pela legislação ambiental o Ibama e o Ministério Público não apareciam para encher o saco”?

 

4 – Em que a decisão tomada pelo candidato derrotado do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, de viajar para a Europa para descansar pode prejudicar os planos do candidato do PT, Fernando Haddad, de contar com a presença dele no segundo turno da disputa?

 

5 – Será que a decisão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de recomendar ao Supremo que rejeite os recursos da defesa de Lula para reformar a sentença de condenação dele pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região de Porto Alegre e de retirar o juiz Sérgio Moro, de Curitiba, do caso em julgamento sobre a aquisição tida pelo Ministério Público Federal como irregular de um terreno para o Instituto Lula, terá algum tipo de influência sobre a campanha do partido no segundo turno?

 

6 – Que razões você acha que tem a candidata derrotada da Rede à Presidência, Marina Silva, para liberar os militantes do partido para votarem em quem quiser, mas ameaçando punir os que decidirem apoiar Bolsonaro, em vez de Haddad?

 

7 – Você acha que o presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá, do Amapá, tem razão ao atribuir sua derrota para a reeleição à imprensa, à Lava Jato e à crise humanitária causada pela presença de refugiados venezuelanos em sua base política?

 

8 – Qual a importância histórica da decisão da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de denunciar o ministro do Tribunal de Contas da União Aroldo Cedraz e seu filho, o advogado Tiago Cedraz, por tráfico de influência?

 

Comentário no Estadão Notícias: Câmara de cara nova

Comentário no Estadão Notícias: Câmara de cara nova

Surpreendendo a todos quantos esperavam um controle da velha política das organizações partidárias sobre a vontade do eleitor, as urnas trouxeram uma Câmara renovada em 52%, o que ainda não traduz a expectativa do “não reeleja ninguém” do começo do ano, mas já é uma boa notícia, pois se trata da maior renovação nos últimos 20 anos. Os deputados são mais jovens, mas nem por isso inovadores: Kim Kataguire vem dos movimentos de rua de 2013, mas João Campos pertence à mais antiga oligarquia brasileira, os Alencar do Ceará, à qual pertenciam o escritor José de Alencar, seu bisavô, Miguel Arraes, e seu pai, Eduardo Campos. Para saber no que isso vai dar é conveniente esperar. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da sexta-feira 12 de outubro de 2018.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player:

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

No canal do Nêumanne no Youtube: Ao estilo Stalin

No canal do Nêumanne no Youtube: Ao estilo Stalin

As mudanças radicais na campanha de Lula/Haddad do primeiro para o segundo turno emulam fatos históricos de estelionato politico como a exclusão de Trotski por Stalin da fotografia com Lenin e a sessão secreta do PCUS na qual Kruchev denunciou os crimes de Stalin. Se gostar deste vídeo, pode inscrever-se no meu canal no Youtube e assim será informado sempre que eu fizer um novo.

Para ver o vídeo clique no play abaixo:

Para ver no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

Comentário no Jornal da Gazeta 2: Lulismo em xeque

Comentário no Jornal da Gazeta 2: Lulismo em xeque

Palocci e urnas podem desmentir teor e tamanho real do lulismo

(Comentário no Jornal da Gazeta 2 quinta-feira 11 de outubro de 2018.

Para ver clique no play abaixo:

Para ver no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui!

Comentário no Jornal da Gazeta 1: Lula, candidato oculto

Comentário no Jornal da Gazeta 1: Lula, candidato oculto

Campanha do PT virou 180 graus, mas candidato ainda é Lula

(Comentário no Jornal da Gazeta 1 quinta-feira 11 de outubro de 2018)

Para ver clique no play abaixo:


Para ver no Blog do Nêumanne, Politica, Estadão, clique aqui!

Comentário no Jornal Eldorado: E Lula não é mais Haddad

Comentário no Jornal Eldorado: E Lula não é mais Haddad

Para chegar ao segundo turno, o ventríloquo Lula, através de seu boneco Fernando Haddad, precisou vender a ideia de que um é o outro. A tática deu certo. Agora, o PT teve de mudá-la, pois o acréscimo da rejeição do ex à do candidato seria fatal para seu êxito. Então, o partido tirou o verdadeiro candidato da campanha, substituiu a cor vermelha pelo verde e amarelo e o slogan “O Brasil feliz de novo” por “O Brasil para todos”. Destarte, promoveu o mais radical estelionato eleitoral da história das eleições no Brasil para recuperar a diferença de 16 pontos porcentuais estabelecida pelo adversário, Jair Bolsonaro, do PT, sobre suas pretensões de volta ao poder. Que é muito esperto é, mas fará efeito?

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM107,3 – na quinta-feira 11 de outubro de 2018, às 7h30m)

Para ouvir, clique no play abaixo:

Ou clique link abaixo e, em seguida, no play:

https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-111018-direto-ao-assunto

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:

https://politica.estadao.com.br/blogs/neumanne/lula-nao-e-mais-haddad/

 

Assuntos para comentário da quinta-feira 11 de outubro de 2018

 

1 – Haisem – O que os coordenadores da campanha de Fernando Haddad, do PT, que mantém a mesma distância registrada na votação no primeiro turno, 16 pontos, 42%, contra 58% de Jair Bolsonaro, do PSL, segundo primeira pesquisa da Datafolha no segundo, pretendem com a mudança visual da marca e a retirada da referência a Lula?

 

2 – Carolina – O candidato do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, estava, a seu ver, falando sério quando declarou que está disposto a debater com seu adversário no segundo turno da eleição presidencial, Jair Bolsonaro, do PSL, até na enfermaria, se for o caso?

SONORA_HADDAD ENFERMARIA

 

3 – Haisem – Que motivos você acredita que os médicos que tratam da recuperação do candidato do PSL à presidência da República têm para persistirem na proibição de sua participação em debates com seu adversário no segundo turno, Fernando Haddad, do PT?

SONORA_BOLSONARO DEBATE

 

4 – Carolina – Ao afirmar nas redes sociais que rejeita o voto de quem pratica violência durante a campanha política, como fez ontem nas redes sociais, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, conseguirá evitar o desgaste provocado por notícias policiais em sua campanha?

 

5 – Haisem – Em sua opinião quais serão as consequências práticas desse vaivém e lufa-lufa das legendas partidárias afastadas da disputa presidencial por soberana e irrevogável decisão do eleitor ao tomarem decisão sobre adesão, neutralidade ou apoio crítico à dupla mantida na disputa no segundo turno?

 

6 – Carolina – Que impacto para o PSDB em particular e para a política nacional em geral poderá ter a decretação da prisão do ex-governador de Goiás, Marconi Perillo, pela Policia Federal, ao chegar para depor sobre repasses de propinas da Odebrecht, de que é acusado?

 

7 – Haisem – Afinal, Nêumanne, você acha que a democracia corre ou não corre risco, a ponto de exigir um pacto entre Poderes, o que foi negado ontem pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes?

 

8 – Carolina – O que você tem a destacar na entrevista que publica em seu blog com o cineasta e jornalista paraibano Ipojuca Pontes?

 

Página 4 de 528«...23456...1015202530...»
Criação de sites em recife Q.I Genial