Site oficial do escritor e jornalista José Nêumanne Pinto

Comentário no Estadão Notícias: O cinismo de Jaquinho

Comentário no Estadão Notícias: O cinismo de Jaquinho

Poucos petistas teriam o cinismo e a coragem do senador Jaques Wagner de declarar, como o fez, que se arrepende de ter ajudado a aprovar a lei que permitiu a delação premiada no Brasil, seguindo exemplos de países como Estados Unidos e Itália. A declaração exibe em toda a sua extensão a falta de decoro total do Partido dos Trabalhadores. Preste atenção: ele não se mortifica pelos crimes que o PT cometeu, mas, sim, por ter permitido que os agentes da lei os desmascarassem. E esse cidadão é senador da República! Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da sexta-feira 5 de julho de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player.

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

 

Nêumanne entrevista René Ariel Dotti (2019 – 25ª)

Nêumanne entrevista René Ariel Dotti (2019 – 25ª)

Lula é ladrão junto

a nosso povo crucificado,

ataca jurista

Professor Dotti acha que Lula livre lembra queremismo getulista, com a diferença de que PT exercitou terror ao atacar críticos, em vez da verdade que defendem

Para o advogado da Petrobrás na ação contra Lula no caso do triplex do Guarujá, René Ariel Dotti, “o bordão ‘Lula livre’ nos remete ao queremismo e à canção carnavalesca: “Bota o retrato do velho outra vez/ Bota no mesmo lugar/ Bota o retrato do velho outra vez/ Bota no mesmo lugar/ O sorriso do velhinho faz a gente trabalhar.Protagonista desta semana da série Nêumanne Entrevista, o professor Dotti foi fundo: “Lula é um dos ladrões reencarnados que está exposto perto da cruz do povo brasileiro. Morrer a própria morte por suas mãos, isso nunca! Matar, sim!  Morrer não é preciso!  Viver é preciso!”. Conhecido pelo destemor na defesa de presos políticos à época da ditadura militar, o jurista paranaense citou: “No excelente e corajoso livro Corrupção da Inteligência Flávio Gordon demonstra, à evidência, como o PT se organizou, se preparou e dominou o Estado, manipulou mídias, anarquizou as fontes de criação das universidades, produziu uma novilíngua de comunicação, desqualificou a crítica honesta atacando o crítico, e não a verdade que ele defende; exercitou o terror.”

Dotti, advogado da Petrobrás, fala no julgamento dos recursos de Lula na 8.ª Turma do TRF 4 em Porto Alegre, tendo ao fundo o advogado do réu, Cristiano Zanin. Foto: TRF 4

Dotti, advogado da Petrobrás, fala no julgamento dos recursos de Lula na 8.ª Turma do TRF 4 em Porto Alegre, tendo ao fundo o advogado do réu, Cristiano Zanin. Foto: TRF 4

René Ariel Dotti nasceu em 1934, e faz questão de contar, a 200 metros do local onde foi armado o altar onde o papa João Paulo II rezaria missa na primeira visita à sua cidade natal, Curitiba, em 1990. Casado desde 1989 com Rosarita, tem duas filhas — Rogéria, professora de Direito Penal, e Cláudia, veterinária — e quatro netos. Destacou-se profissionalmente como advogado de presos políticos que defendia na Justiça Militar, sendo o caso mais notório o que ficou conhecido como Novembrada. É professor titular de Direito Penal da Universidade Federal do Paraná. Atuou como auxiliar de acusação, contratado pela Petrobrás, na ação em que o ex-juiz Sergio Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por haver se beneficiado de propinas para adquirir e reformar apartamento tríplex na praia das Astúrias, no Guarujá. Autor de vários artigos publicados no Brasil e no exterior, destaca, entre outros livros, ter publicado Proteção daVida Privada e Liberdade de Informação (Revista dos Tribunais, 1980) e Bases e Alternativas para o Sistema de Penas (Revista dos Tribunais, 1998).

Nêumanne entrevista René Ariel Dotti

 

Nêumanne – O senhor atuou como advogado auxiliar da acusação nos processos da Lava Jato e, numa sessão de interrogatório do principal réu da ação do triplex do Guarujá, que, segundo o Ministério Público, pertence a Lula, viu-se obrigado a chamar a atenção do chefe da equipe da defesa do ex-presidente petista, advogado Cristiano Zanin Rodrigues, pela forma desrespeitosa como se dirigia ao juiz Sergio Moro, que comandava o interrogatório. O que o levou a tomar essa atitude?

Leia mais…

Direto ao Assunto no YouTube: Léo encalacra Lula de vez

Direto ao Assunto no YouTube: Léo encalacra Lula de vez

A Folha de S.Paulo publicou em manchete hoje a notícia de que recebeu uma carta do empresário Léo Pinheiro da OAS desmentindo em detalhes a versão fantasiosa da defesa de Lula, assumida pelo site The Intercept Brasil do jornalista e advogado militante de esquerda americano Glenn Greenwald, em parceria com a própria Folha e a BandNews. O relato é lógico e vem acompanhado de informações sobre documentação e outros testemunhos colhidos no processo pela PF e pelo MPF, que levaram o juiz da Lava Jato a condenar o petista. Ao dizer que não foi coagido a mentir para prejudicar Lula, o empreiteiro destrói as versões de falta de provas e cumplicidade de Moro. O resto é chicana. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver o vídeo no YouTube clique no link abaixo:

Para ver no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

Comentário no Jornal Eldorado: Privilegiados sabotam reforma

Comentário no Jornal Eldorado: Privilegiados sabotam reforma

A reforma da Previdência – seja o projeto de Temer, que foi abandonado, seja o de Paulo Guedes, que está sendo encaminhado na mesma direção, e mesmo o apadrinhado pelos chefões do Congresso, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia – está sendo sabotado mais uma vez pelos descaminhos da força e do poder das castas privilegiadas que detêm o poder de fato. Todos –  do presidente da República, Jair Bolsonaro, ao relator, Samuel Moreira (PSDB-SP) – têm responsabilidade nisso por não se mostrarem infensos à privilegiatura. No caso do chefe do Executivo, pela reforma especial dos militares e agora pelo patrocínio da causa dos profissionais da segurança, e no do tucano, por se ter obrigado a produzir uma série de modificações no relatório.

Para ouvir clique no play abaixo:

Ou clique aqui e, em seguida, no play.

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

 

Assuntos para comentário da quinta-feira 4 de julho de 2019

 1 – “Bolsonaro tenta ajudar policiais na reforma e proposta é recusada”, é a manchete do Estadão de hoje. O que esse vaivém do relatório infindável de Samuel Moreira prova definitivamente sobre a submissão aos lobbies invencíveis dos privilégios infindáveis

 2 – Que razões tinha o presidente Bolsonaro para imaginar que a reforma da Previdência seria diferente de “ninguém querer perder nada”.

 3 – Léo Pinheiro, o ex-presidente da OAS, que foi fotografado com Lula na obra do tríplex do Guarujá, que a empreiteira financiou, escreveu da prisão uma carta que a Folha de S.Paulo, parceira de Glenn Greenwald na revelação das mensagens com as quais a defesa do petista tenta constranger os agentes da lei que combatem corrupção, resumiu na manchete de hoje “Nunca sofri coação, afirma empresário delator de Lula”. E agora, Glenn?

 4 – Que esclarecimentos você acha que o Senado da República poderá obter do tal advogado e jornalista americano Glenn Greenwald sobre o momentoso caso das mensagens atribuídas por seu site The Intercept Brasil ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, a procuradores da Lava Jato e outras autoridades do combate à corrupção

 5 – O que poderá haver, além da obviedade, na declaração que o ex-juiz Sérgio Moro de que ele passa e a instituição, no caso o Ministério da Justiça, fica

 6 – Você se surpreendeu com a notícia dada em primeira página do Estadão segundo a qual “’Pacto’ entre os Poderes acaba em cinco semanas”

 7 – O que, a seu ver, levou o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, a autorizar abrir uma CPI sobre “fake news”, como sendo a maior prioridade deste momento dramático de tantas prioridades

 8 – O que, em sua opinião, teria levado a Operação Lava Jato a abrir novo inquérito sobre propina de 13 milhões e meio de reais atribuídos ao ex-presidente da Braspetro Sérgio Machado

Comentário no Jornal da Gazeta: Suspeitos fingem julgar Moro

Comentário no Jornal da Gazeta: Suspeitos fingem julgar Moro

Tentativas da esquerda de constranger Sérgio Moro com revelações do Intercept de pretensas mensagens de Telegram de autoridades do combate à corrupção na CCJ da Câmara só serviram para afundar ainda mais no descrédito popular esquerda encalacrada em processos de corrupção da Lava Jato.

Para ver meu comentário no Jornal da Gazeta da quarta-feira 3 de julho de 2019 clique no link abaixo:

Para ver no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique aqui.

Página 26 de 1.042«...5101520...2425262728...3540455055...»
Criação de sites em recife Q.I Genial